Não tenha medo de ir ao dentista!

Você tem Odontofobia? Este termo é o utilizado para quem tem medo de dentistas ou do tratamento dentário. É uma fobia bastante comum que afeta pessoas de todas as idades e, também atinge cerca de 50% da população mundial. São pessoas que sentem medo de dentista ou que pelo menos ficam ansiosas com as consultas.

A maioria das pessoas ultrapassa este receio quando conclui o tratamento. Afinal os benefícios são tantos e tão evidentes que a questão do medo é ultrapassada com sucesso.

Existem ainda alguns pacientes em particular que precisam de ajuda especial. São eles:

Diabéticos

Algumas pistas juntas são boas para descobrir se um paciente tem diabetes. Como a boca seca, muita sede mesmo após beber bastante líquido, hálito cetônico, doença periodontal de difícil controle, relatos de perda de peso brusca, aumento rápido do número de cáries, atraso ou deficiência de cicatrização, manifestações virais (herpes) ou fúngicas (candidíase) frequentes, alterações na visão, fraqueza e cansaço podem sinalizar algum comprometimento.

Confirmando a diabetes o dentista pede os exames complementares e de acordo com eles elege o melhor procedimento a ser realizado, executando um plano de tratamento totalmente voltado as necessidades do paciente.

As condutas a serem adotadas devem ser: Aferir a pressão arterial e glicemia, evitar estresse, procedimentos rápidos, ver que horas o paciente se alimentou, otimizar técnicas e equipamentos e realizar antibioticoterapia se necessário, para assim evitar baixo, médio ou alto risco de complicação nos tratamentos.

Síndrome do Pânico

Este é um transtorno psiquiátrico que exige diagnóstico preciso e um tratamento correto. As crises são intensas e algumas dicas podem auxiliar a complementar o tratamento odontológico para este tipo de paciente.

É desejável que sempre instrua pessoas que sofrem deste transtorno que parem por um momento e… respirem. Simplesmente. Isto ajudará a acalmar o paciente e irá ajudá-lo a organizar as ideias. Além disso, recomendar que os pacientes não fiquem muito tempo de jejum, restrinjam a cafeína, façam meditação, atividade física e um atendimento tranquilo com uso de sedação por um profissional que respeite seu momento, são extremamente necessários e um grande diferencial neste caso.

Hipertensos

Os pacientes portadores de hipertensão arterial também precisam de cuidados especiais, mesmo os controlados. Fazendo consultas mais curtas e prestando atenção se o paciente está com diminuição do fluxo salivar (xerostomia) ou hiperplasias gengivais, ajuda bastante no tratamento. Alguns medicamentos para controle da pressão arterial apresentam estes efeitos colaterais bucais indesejados.

A indicação para qualquer tratamento para pacientes que sofrem de tal problema é que se faça a aferição da pressão arterial, e isto antes de todas as consultas.

Em tratamento oncológico

O ideal para os pacientes oncológicos é que sempre sejam examinados pelo cirurgião-dentista tão logo tenham esta doença diagnosticada, para que o tratamento odontológico, preferencialmente, anteceda o oncológico. A situação não é dramática e tem como cuidar bem do paciente que passará por tratamentos no consultório odontológico e no oncológico.

A presença do cirurgião-dentista na equipe transdisciplinar também é de fundamental importância na prevenção dos mais diversos problemas como: remover focos de infecções, complicações do tratamento oncológico, realizar o exame físico extra e intrabucal, realizar intervenções odontológicas antes do início do tratamento evitando complicações graves futuras e no controle dos efeitos colaterais bucais agudos da radioterapia e da quimioterapia. A utilização de laser para evitar mucosite que é uma inflamação da parte interna da boca e da garganta que pode levar a úlceras dolorosas e feridas nessas regiões e que ocorrem em 40% das pessoas que recebem quimioterapia, impossibilitando as mesmas de se alimentarem adequadamente.

Contudo, as doenças e os transtornos citados são totalmente diferentes entre si, e cada um destes pacientes precisa de uma ajuda especializada e capacitada. Mas isso não faz com que a ida ao dentista seja temerária ou indesejada, pelo contrário, isto encoraja aos pacientes que estejam presentes em suas consultas pois terão dentistas capacitados e informados para saber atender a situação de cada paciente.

E, para casos extremos, existem atitudes extremas como a prescrição de medicamentos para quem sofre de ansiedade muito forte. Outras necessidades também possuem recomendações como as indicadas no site: https://iclinicodonto.com.br/idiferenciais, acesse!